Siga @katherslynne

17 de ago de 2016

Tropeçando pra levantar


Olá a todos. Meu nome é Thainá e sou a criadora desse blog. o Um Remédio Chamado Ler, ou URCL se preferir. Faz um tempinho que não apareço, ne? Quem me conhece sabe que às vezes dou umas sumidinhas, pra quem não me conhece, saiba que eu sempre volto.


Hoje venho aqui contar pra vocês uma coisa que me chateou muito, algo que está acontecendo comigo. É uma explicação, um pedido de desculpas, um desabafo. Também acaba sendo um pedido de ajuda, de conselhos, fiquem à vontade nos comentários.






Eu sou meio que conhecida no facebook por criar RPG’s, os mais famosos inspirados em Jogos Vorazes e de Harry Potter. Eu diria que essa história começa com esse, de HP, uma saga que eu AMO muito, de paixão. Montei uma escola virtual online de Hogwarts (que aliás, to voltando com ela mas isso já é pra outro post) e nessa escola tínhamos um jornal online, o Profeta Diário.

No Profeta Diário ou PD, publicávamos o que havia acontecido de destaque no RPG ou que em breve aconteceria. Meses depois passamos a lançar em formato de revista semanal e apesar da correria e dificuldades para publicar edições nas datas certas (sério, é bem mais complicado do que parece cumprir toda semana aquele prazo) eu simplesmente me apaixonei por esse trabalho, escrever e organizar as edições.

Com o fim do RPG (tive que encerrar já que eu iria prestar enem e precisava focar nos estudos, afinal, era um evento com pouco mais de 800 participantes e era MUITA coisa pra administrar) e a não renovação dele para 2015, decidi levar uma coisinha dele, a revista.



Eu pensei em escrever sobre livros, uma revista literária. Eu me inspirei no meu blog e em muitos outros que eu visitava diariamente para fazer algo interativo, com uma linguagem leve. Juntei uma galerinha que já tinha feito isso comigo e começamos a planejar. E planejamos, planejamos, mas quando chegava na hora da execução não dava. Faltava tempo, rolava aquele medinho (porque uma coisa é fazer por brincadeira, outra é pra levar a um público grande e sério).


Meses se passaram, alguns saíram, decidi recrutar pessoas dos grupos Nyah Oficial (esse grupo é demais) e Leitores Anônimos (se você não conhece LA, tenho péssimas notícias a você). Alguns sumiram, saíram, vida que segue. Mas é assim que conheço “A” (não vou citar o nome porque não quero expor a identidade). Desde o começo “A” se mostrou super interessada no projeto, sempre prestativa, pronta para assumir novas responsabilidades. Parecia até surreal esse interesse.
Já havia se passado um ano nessa luta pra lançar a revista. “A” motiva colunistas, faz sugestões. Eu decido fazer um teste pra ver se a equipe está pronta pra assumir essa responsabilidade, não estão. Se você está prestes a criar uma empresa, porque querendo ou não seria uma empresa, uma organização, e se ela se compromete a postar TODO MÊS uma edição, tem que ter. Eles não estavam conseguindo cumprir os prazos mensais. Eu não poderia exigir mais do que exigia, afinal, ninguém nem recebia salário, fazia de livre e espontânea vontade. O projeto desandou.





“A” cursa jornalismo. Ela me dá conselhos. Com o projeto parado, nos afastamos. Passam-se meses. Chegamos no começo desse ano, 2016. Eu prometi a mim mesma que não iria desistir, dessa vez ia dar certo. Chamei membros antigos, poucos responderam, mas era o suficiente. Convidei “A” e ela nem exitou em dizer sim. Convidei ela para ser editora-chefe.

Criei grupo no whats. Definimos temas, data de estréia, começamos a trabalhar. Devo ter escrito umas 15 matérias em 20 dias, e isso porque estava em época de prova na facul. “A” também. Os outros às vezes desandavam, alguns assumiam que não davam tudo de si, mas faziam o que era pedido.

“A” passou a me chamar mais no privado. Queria conversar só comigo, sabe? Me motivava a falar com ela antes dos demais. Tinha dias que nas reuniões semanais só tinha eu e ela, então ne…

Ela se esforçava muito, isso eu não posso negar. Parecia que só ela entendia o quanto isso era importante pra mim e como era estressante. Ela conseguiu parceiros para a revista. Foi a um evento como imprensa pela revista. Pagou cartõezinhos pra distribuir divulgando a revista.

Então ela criou o email para a revista. Criou página no facebook para a revista. Eu havia dito que iria fazer isso, mas ela tomou a iniciativa. Então ela aparece com um site para a revista, um site com domínio próprio. Ela já não é mais apenas uma editora-chefe, ela é sócia, ela tem parte nessa revista. Não tem? Depois de ter feito isso.

Me incomodou o fato de ela nem ter pedido. Mas eu não tinha dinheiro mesmo, o que eu poderia fazer? A justificativa dela é válida, algo com domínio próprio passa mais credibilidade do que o gratuito. Como recusar? Que imagem eu passaria diante de todos dizendo "não quero não, obrigado?" Era um por todos e todos por um.

Até porque parecia que todos já sabiam do site, menos eu. Só fui saber dele um pouco antes da estreia, ela havia pedido para dois dos colunistas editarem ele e por eles não terem cumprido o prazo, ela me chamou pra mexer no layount e tal.

“A” disse que queria ficar responsável pela diagramação. Eu já estava sem computador havia um ano, se não estava no celular era pela faculdade. Fazia sentido, mais uma vez. Eu reviso as matérias, ela junta tudo. Ela me mostra uma prévia e então some. Falta uma semana, eu estou desesperada. Ela não me responde. Os colunistas estão aflitos. O que está acontecendo?




Resumindo, foi um desastre. Depois ela reapareceu, disse que precisava mudar umas cores de fundo, trocar umas imagens. Me ofereço pra ajudar ou assumir N vezes, ela não aceita. Ela pega a lista de assinantes. Meu cérebro está apitando, ALERTA VERMELHO. Por que ela não me manda essa lista, que já pedi umas mil vezes? Não quero ser rude, mas…

Todos me perguntam, cadê a edição? Eu não sei. O que está acontecendo? Eu não sei.

Eu mando mensagem atrás de mensagem. Eu tô com os cabelos em pé. Então, além de colunistas, designers, eu tenho assinantes atrás de mim cobrando, parceiros, blogueiros. Eu me sinto uma idiota. Uma amiga pergunta como que eu não sei o que está acontecendo se fui eu que criei isso, que tipo de administradora eu era?

O nome da revista? Revista Geeks. Ela seria voltada para o público jovem-nerd, gratuita.

Minhas férias chegam. Eu imploro pra “A” me mandar o que ela já tem pronto ou pra ela assumir caso não tenha terminado, caso não tenha feito. Sem resposta. Férias.  Não tenho computador. Quebro o meu celular. Ela sumiu. Eu estou triste, confusa, irritada, desolada.

As férias terminam. Um pc novo aparece em casa. Eu penso bastante. Eu não posso desistir, não agora. Não devia ter deixado alguém com tamanha responsabilidade. Eu não devia ter ficado parada nas férias, devia ter dado um jeito. Culpa, arrependimento. Se ela não entregou no prazo, eu devia ter feito. Então está decidido, eu vou fazer.

E então eu tenho um problema, eu tenho várias matérias ultrapassadas. Dia dos namorados? Já foi. Análise do trailer de Esquadrão Suicida? O filme já até lançou. Não só eu, mas colunistas se esforçaram pra escrever, foi trabalho deles. Vai ter que ir pro lixo?

Autores deram entrevistas, blogueiros nos divulgaram, e o que eu mais temia aconteceu : eu deixei muita gente na mão.

E a confiança foi quebrada. Como voltar a confiar em “A’? Eu juntaria aquelas matérias, teria que revisar de novo claro, e lançaria como “Melhores do 1º semestre de 2016” ou como “Melhores do Ano”. Então “A” reaparece.

Ela finalmente se explica. Depressão das graves. E claro que torço pela melhora dela, eu entendo. Tem dias, semanas, meses que passamos por cada perrengue. Um dia estamos de pé, nos outros seis caídos. Quem sabe?



Ela quer voltar da onde paramos. Entendo a situação dela, ficou doente. Mas ela podia ter mandado uma mensagem, apenas um aviso. “Olha, eu não to bem, não vou conseguir fazer. Faça?”. Quantas vezes não me ofereci pra fazer? Teve o dia que ela ficou sem energia, o computador deu pau. Ela nunca me deixava fazer a parte dela. Esforçada, destemida? Sim. Mas precisava  mais humildade pra dizer que precisava de ajuda.

Eu digo que seria injusto eu não colocar ela de volta na revista, até porque ela ralou bastante, deu do próprio bolso. Mas como editora-chefe? Não dava. Eu iria diagramar daqui pra frente. Ela diz que não aceita. Que legalmente, quem tem direitos na revista é ela e um garoto que fez a capa e parte dos logos (o mesmo que ela pediu pra editar o site e ele não editou). Eu não quero o site dela se ela não quiser, ela deveria pegar o dinheiro de volta.Ela diz que já pagou um ano adiantado no site. Eu não sabia. Eu estou surpresa. Por que ela fez isso e sem me contar? Não sei. Não tenho certeza. Na verdade, segundo ela, ela é a dona da revista. Eu? Não.

Eu digo que isso é um absurdo, eu criei essa revista. Mas quem criou a página? O site? O email? Posso ter mesclado 4 páginas minhas pra fazer a página da revista ganhar 3 mil likes (a página atualmente tem 3 mil likes e meio). Posso ter editado aquele site todo. E daí? Eu me f*d!. É isso.


Enquanto conversamos percebo que fui tirada da página. O email teve a senha trocada horas atrás. Ela está me tirando do meu próprio projeto e tem a capacidade de dizer que não está me passando para trás. Sinto que estou levando uma facada nas costas.


Ela diz aos colunistas que estamos nos separando e eles se sentem num tiroteio. Terão que escolher com quem ficar? Espera aí, eu não separei nada, ELA ME TIROU!! “Eu quero trabalhar com as duas”, uma diz. Eu explico que não saí porque quis, EU FUI CHUTADA.

“A” está falando mal de mim pelas costas. “Ela queria mandar em tudo, por isso nos separamos”. Não nos separamos, ela ME TIROU. Eu me sinto mal pra caralho. Como você se sentiria sendo saqueado por trás e ainda ver que estão distorcendo fatos e falando mal de você pelas costas?

Confesso, chorei. Mas eu iria sentar no chão e chorar? Com toda certeza, não. Não pra sempre. Deixa só por um dia a bad comigo. Hello darkness, my old friend .

Mas eu levanto, coloco um sorriso no rosto e me comprometo a fazer o melhor. Até porque, olha a notícia : vou poder ir como imprensa na Bienal do Livro TODOS os dias e DE GRAÇA *_*. Aliás, quem aí for blogueiro e quiser ter a chance de conseguir isso, corre no site e clica em imprensa, cadastramento. Acho que as inscrições vão até dia 20.

Conclusão, eu não queria que ela ficasse com aquela revista. Com aquele nome, com aquela página. O email tinha contatos meus, entrevistas minhas. Eu ajudei muito naquela página também. O site é mesmo dela, ne, ela pagou.

Mas eu vou criar outra revista. Outro site, outra página, eu recomeço. Quem nasceu pra ser diva não pode parar.

23 comentários:

  1. Uau Thai, que desabafo!
    Olha, essa A, vou te contar heim?! Pelo que percebi, parece que ela queria isso desde o começo. Que triste para ela... porque né, o esforço de vocês todos vale muito e é como se ela quisesse ganhar os creditos sozinha. Muito feio isso. É gente que não sabe trabalhar em grupo e eu fico p* da vida com isso. Mas enfim, vida que segue mesmo. Não desanima nunca! Recomeço é sempre bom.
    sucesso!
    Beijos, Fer
    wwww.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, é bem triste. Não sabem trabalhar em grupo. Reconhecer que precisam de ajuda, que não fizeram sozinhos, é esforço conjunto. Mas vida que segue, o sol se pôs hoje mas o melhor é curtir as estrelas que em breve ele renasce.

      Beijooos

      Excluir
  2. Mulher que saga é essa? Primeiro de tudo me diga pelo amor de Deus quem é essa "A" que quero me manter bem longe dela.
    O que posso te dizer é que desde o começo essa historia não estava no rumo certo se o projeto era seu as decisões tinham de ser tuas confesso que tem gente que cega a gente pessoas boazinhas demais que estão sempre a disposição para tudo sem pestanejar sem nunca dizer um não me causam urticarias (ok eu sou desconfiada) não tem mais jeito esta feito o que dá para você fazer é se reerguer começar tudo do zero e tomar isso como exemplo um degrau a mais para você subir na vida.
    P.S: Quero saber mais detalhes desse RPG de Harry Potter.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, chegaram a perguntar se isso é verdade ou era um conto que escrevi rsrs mas infelizmente é verdade. Só não digo quem é porque eu estaria expondo ela na internet e isso não é uma boa, não quero ter que apagar esse post porque é minha forma de desentalar o que está preso na garganta. Mas "A" tem por todo canto, olhos abertos.

      Cara, eu sempre fui desconfiada com as pessoas. Eu sentia certo desconforto com ela mas logo em seguida me sentia culpada, porque de fato ela me ajudava tanto, cara, tanto. Ela chegou a se tornar uma amiga.

      Mas não tem mesmo o que fazer, o jeito é realmente levar como aprendizado e não desistir de chegar no topo dessa escada.

      Em breve farei um post sobre esse evento, okay? Eu divulgo aqui.

      Beijooos

      Excluir
  3. Caramba garota estou até sem folego depois de ler, isso daria um livro!
    Uma vez já fui chutada de um grupo e tive o trabalho copiado, mas nada perto disso. Parece que A viu que seria algo de sucesso e quis pegar a sua ideia, foi se aproximando aos poucos e "surpresa", você tá fora.
    Meu único conselho é começar a desconfiar mais dos outros, depois daquela vez do trabalho passei a desconfiar de tudo e tomo todo um cuidado pra material meu não cair nas mãos de outro sem eu divulgar primeiro!
    Continue em frente e espero que dê tudo certo dessa vez.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina nem me fale de daria um livro, eu sou do tipo que vê ideias em tudo que é canto e sai escrevendo kkkkkk mas escrever sobre minha própria desgraça, sei lá, já basta esse post kkkk

      Imagino a raiva que você sentiu, tendo feito o trabalho e sendo tirada. O pior é ver quem te roubou com os créditos não é? O que você fez depois?

      Eu já era meio desconfiada antes, mas me sentia culpada por ser assim. Agora? Tomar bastante cuidado. E eu ainda tenho que ouvir de um professor que segurar ideias ou não dividir um projeto pras pessoas opinarem é ruim, a me poupe. Vou fazer que nem você : divulgo primeiro, ganho meus créditos,e aí não corro tanto risco de ser roubada.

      Obrigada pelas palavras de incentivo, beijooos

      Excluir
  4. Acho que seria importante você avisar quem é o A, porque agora estou com medinho...
    Comece tudo do zero e siga em frente, sem medo, mas com prudência.
    Sucesso em todos os seus projetos.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Que saga menina, parece até novela. Já passei por uma situação parecida, onde criei um blog com uma pessoa e fui retirada, mas não chega aos pés do que você passou. Espero que "A" saiba o que fez de errado e que não repita isso com outras pessoas. Também espero que as pessoas percebam que ela não é boa.
    Desejo que você consiga criar outra revista e que se restabeleça.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Oi, flor.
    Que triste saber que viveu essa experiência de péssima parceria. Infelizmente, há quem não tem limites e acaba por agarrar a ideia alheia, por dar vida a ela (uma vida diferente, com cores diferentes, com tons diferentes... do que sempre imaginamos), por assumir-se proprietária, e irresponsavelmente não faz nada do que deveria ser feito. Digo isso porque a impressão que tive é: essa revista não ia dar certo, flor. Não por você, mas por ela. A revista já não era como você gostaria, então recomece e a faça do jeito que sempre sonhou. Há espaço para todos no mercado literário. Tenho certeza de que você conseguirá se reerguer e brilhar independentemente dessa situação.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Nossa que situação difícil e SIM, ela te passou a perna sem nem ter vergonha na cara.
    Passei por uma situação meio parecida com uma ex-cunhada minha.
    Combinamos de abrir uma loja virtual que teria de tudo, começamos o site de forma gratuita, eu fiz o layout todo e precisávamos de um cartão internacional para comprar as mercadorias. Estava no maior perrengue na faculdade e por isso acabei enrolando para pedi-lo.
    Quando o cartão chegou, fui conversar com ela e ela simplesmente já tinha o cartão, mudou todas as senhas e me disse AH DESCULPE, MAS NÃO ESTAVA VENDO INTERESSE DE SUA PARTE ENTÃO RESOLVI FAZER TUDO SOZINHA.
    Dou graças a Deus por não ter que ver a cara dela de novo e que meu irmão se separou dela kkkk

    https://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá.. fica assim não. Levanta a cabeça e seja feliz. Como você diz, quem nasceu para ser diva não pode para... Eu sei como é frustrante, para não dizer toda a raiva que se passa, quando coisas assim acontecem. Trabalho em grupo nem sempre sai como a gente quer. Mas deixo aqui meus votos de sucesso! Até mais.

    ResponderExcluir
  9. Menina, quem é essa A pelamor que quero me manter longe! Você passou por uma saga daquelas... infelizmente algo parecido já aconteceu comigo e sei como é difícil ter um projeto roubado tão descaradamente por alguém que demonstrava ser de confiança. Ainda bem que resolveu dar a volta por cima e recomeçar, é difícil mas você consegue!! :D Vou ficar torcendo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Thai

    Olha, eu acho que você deveria revelar quem é essa tal de A (me sentindo em Pretty Little Liars agora) até para outras pessoas não serem enganadas por ela como você foi!!!
    Cheguei até a ficar com pena dela pelo lance da depressão, mas provavelmente é uma outra mentira dela, não??
    Com certeza você vai criar uma outra coisa e vai ter o dobro do reconhecimento, você vai ver.
    Caráter é coisa para poucos!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Que coisa, hein? Nada a ver com isso de internet, mas tenho um pouco de trauma dessa coisa de "sócio". Meu pai foi roubado por todos os sócios dele, sou bem traumatizada, nem colunista nunca tive no meu blog porque tenho medo da pessoa fazer plágio ou ser irresponsável. Nunca confiaria em alguém tanto assim. É fogo, mas o mundo está cheio de gente mal intencionada. Mas o importante é você estar disposta a recomeçar, o que é nosso ninguém leva! Sorte e sucesso!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, só posso imaginar como você se sentiu por ser traída dessa forma.
    Nem sei se dá pra acreditar na desculpa dela da depressão, pra ela ter inventado tanta coisa de você assim, fica até difícil de acreditar, né?
    Mas eu vou ficar torcendo (e aguardando) por sua nova revista que vai ser incrível!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  13. Oi Thai!
    Que situação horrível não? Eu adorei as suas ideias, não conhecia, mas por amar HP, super me interessei. Porém, sou péssima em jogos de RPG, então não sei se daria muito cero, rsrs.
    Te entendo em relação a prazo. Sou horrível com eles. Os posts do blog sempre são um problema para mim, pois sempre atraso mais do que devia.
    Em relação a situação, acho muito chata. Infelizmente tem gente assim por ai. Não sei se ela fez isso de propósito ou não, mas no final ela ferrou com você. E o pior, pelo menos para mim, é que ela pegou a sua ideia e tirou você. E ainda teve a cara de pau de colocar todos contra você.
    Acho que o melhor seria deixar isso para trás, por pior que tenha sido, levantar a cabeça e começar do zero. Tenho certeza que vai dar tudo certo.
    Talvez não fosse para acontecer naquela época. Boa sorte com o novo projeto.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Estou totalmente revoltada com o que aconteceu, acho que uma falta de caráter sem tamanho! Mesmo assim, vou ser obrigada a te dizer uma coisa, desculpe, mas delegar poderes é uma coisa, deixar que os outros tomem seu lugar é outra. Por mais problemas e dificuldades que você tenha passado, você deu uma certa "acomodada", se esta é uma palavra que posso usar. Juntando isso, com a canalhice de A, acabou dando esta merda toda, o que uma grande pena. Espero que você não desista deste seu sonho e siga em frente, mas sábia agora. Use isto que te aconteceu para ficar mais forte e fazer uma revista ainda melhor do que esta.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Olá! Tudo bem por aí?

    Gente, que revoltante! Essa "A" (isso me lembra Pretty Little Liars, haha) pegou pesado contigo, ein. Mas como você disse "Quem nasceu pra ser diva, não pode parar", então continue, não desista mesmo. Uma hora as coisas acontecem de uma maneira melhor. Que a sorte esteja sempre a seu favor!

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  16. Poxa, muito revoltante mesmo. é preciso ter muito cuidado com internet e ter um projeto todo seu, que você investiu tanto tempo e "A" fazer uma coisa dessas é no mínimo revoltante. Esse é um dos motivos por eu não adicionar nenhum colaborador no blog ou adm na minha fanpage, preciso muito mas o medo me impede

    ResponderExcluir
  17. Por isso sinto receio em encontrar um parceiro de projeto e delegar funções. Sinto que você confioou de mais e esse foi seu erro. Sempre devemos ter um pé atrás, mas agora bola para frente.
    www.saotantas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Que situação difícil, alias conheço o grupo LA e é incrível
    Gostei do projeto, mas realmente é algo muito difícil que exige responsabilidade da equipe, percebi desde o começo do texto que A daria problemas, as pessoas são assim, aparecem querendo ajudar, começar a ganhar confiança, e quando você menos espera elas já estão se achando donas de seu projeto e te expulsando, por isso nesse novo projeto se dedique muito, aproveite a Bienal para uma excelente maneira e não deixa mais pessoas assim acabarem com sua felicidade, se renova e mostre que não precisa de ninguém para o que deseja

    ResponderExcluir
  19. Nossa menina, que é isso? A sua história dá um filme, e eu estou muito irritada com a A. É aquele tipo de pessoa que você começa a ler o seu post e acha maravilhosa, diva, super querida, preocupada, ajuda sem pedir nada em troca, e então vai e ... PUM! Que choque! Eu teria sido enganada bem fácil também. Que vai de pessoas assim. O projeto é seu, a ideia é sua, os contactos são seus. Levanta, volta do zero. Sou de Portugal, mas já que a revista é online, eu teria todo o gosto em participar de algo maravilhoso assim. Qualquer ajuda que precise me avisa tá? Fiquei solidária com você e com o projeto e espero que uma nova revista fantástica se erga rapidamente. Você consegue tudo a que propuser, e o Karma tratará do resto ;)
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  20. Essa "A" ficaria bem como personagem minha em, Emboscada no vale dos seios.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Encontrou algum erro ortográfico? Não deixe de comentar! Sua opinião é muito importante pra nós.
Não tem conta no google? Não tem problema.
Escolha a opção nome/url e coloque seu nome.
Volte sempre.